Ultimatos? Really?

Se há coisa que odeio – e odeio do fundo do coração – são ultimatos. Eu estava num grupo, a trabalhar para um projeto, quando uma das r...

Se há coisa que odeio – e odeio do fundo do coração – são ultimatos. Eu estava num grupo, a trabalhar para um projeto, quando uma das raparigas nos lança um ultimato. A razão? Não confia em mim e achava que eu tinha andado a mudar as definições de segurança do email do grupo, quando na verdade eu tinha andado apenas a desbloquear a conta que tinha sido temporariamente bloqueada… visto que era eu quem estava responsável pelo email! Então ela diz ao grupo que não consegue trabalhar assim, ou seja, a desconfiar de mim. E o que propõe ela? “Ou saio eu, ou sai ela…”. Ora, como eu odeio isto e pessoas que o façam, propus então a minha saída porque não tenho tempo para trabalhar com crianças com tamanha infantilidade.

Se fiquei magoada? Fiquei… eramos muito amigas e ela não tinha qualquer razão para desconfiar de mim. E eu acho que isto do email foi apenas uma desculpa para eu sair, porque ela já andava com inveja de mim há algum tempo.

7 comentários

  1. Não sei quem é a pessoa, mas fiquei com raiva dela! Concordo absolutamente contigo e eu teria feito o mesmo.

    ResponderEliminar
  2. Se ela era a única a ser infantil mais valia teres deixado que fosse ela a sair. Se foi o grupo todo, então estás melhor assim!

    ResponderEliminar
  3. Há pessoas assim... Se implicam é porque já estão com alguma atrás da orelha. Que vás para um grupo melhor!

    beijinho

    ResponderEliminar
  4. Há pessoas que não têm mesmo noção das coisas, é impossível! Além de que não tem qualquer lógica essa reação, porque se achava que havia algo de errado falava contigo para esclarecer.

    ResponderEliminar
  5. Não consigo compreender atitudes assim, simplesmente infantis e motivadas pela inveja...

    ResponderEliminar
  6. Teria feito o mesmo que tu, essas pessoas infantis mais vale ignorar

    ResponderEliminar